VASCO DA GAMA -RIO DE JANEIRO

Vasco vence e está de volta à elite! Comemora, torcedor!

Time sofre um pouco, mas supera o rival e faz a alegria de mais de 80 mil

Adriano vibra muito com seu gol, observado por Carlos Alberto (Crédito: Paulo Sérgio)

Refeito do baque, a exatos 11 meses, um dos maiores clubes da História do futebol brasileiro está de volta à disputa da principal competição nacional. Em clima de festa, o Vasco foi valente, adjetivo que pautou a campanha, e derrotou o Juventude por 2 a 1, neste sábado, para um Maracanã abarrotado de gente, acima de tudo, emocionada e aliviada.

Com o resultado, ninguém mais alcança o Clube da Colina a partir da quinta posição, ocupada pelo Figueirense hoje. São 70 pontos contra 57. À frente do Ceará, novo vice-líder, são sete, o que pode garantir o título já na terça-feira, contra o Campinense. Basta vencer e o rival e o Guarani empatarem. Já os gaúchos estão 15º, com 40 pontos.

Confira nosso especial com tudo sobre a volta do Vascão!
Antes do jogo, muita festa da torcida no Maracanã!
Guarani perde do Atlético-GO e título fica mais perto

1º TEMPO

Compenetrados, os jogadores do Vasco seguiram à risca o que diz a cartilha dos jogos decisivos. Tão logo a bola rolou, esqueceram o clima de festa visto na arquibancada, pelo iminente acesso antecipado, e respeitaram o Juventude, correndo muito e evitando dar espaços. Mas como em quase todo duelo importante, o ensaio nunca é igual ao ato em si.

Por essa razão, o time dirigido por Dorival Júnior teve certa dificuldade para dominar a partida. Sem querer ficar marcado pelo retorno cruzmaltino, os gaúchos marcaram Carlos Alberto com eficiência e contaram com a timidez de Allan, que não apareceu para jogar com frequência. Assim, Elton recuou mais do que gostaria.

O calor intenso no Rio também contribuiu para o ritmo mais lento. É evidente que os atletas sabiam o que lhes esperava, e preferiam estudar-se antes de agir de qualquer jeito. Bom no apoio, o lateral Bruno dava trabalho a Ramon, que se esforçava para ajudar o ataque. A recompensa do camisa 6 foi o ótimo cruzamento para o gol.

Só que o leve toque de Elton para Adriano foi irregular. O artilheiro vascaíno raspou com a mão e deixou o companheiro livre para concluir. Como não tinha nada com isso, o torcedor vibrou como nunca e, com a soma do resultado entre Atlético Goianiense e Guarani, o cheiro de título também era cada vez mais forte.

Até o fim da primeira etapa, o Vasco cozinhou o confronto, ciente de que já tinha o placar que lhe servia para ascender à competição da qual nunca deveria ter saído. E o fazia com muito mérito, pois foram, até aqui, 20 vitórias em 34 jogos, para citar apenas um número.

2º TEMPO

O técnico Ivo Wortmann resolveu mexer na estrutura de sua equipe no intervalo. Ao pôr o zagueiro Jorge Felipe, adiantou os alas e passou a ter três defensores. E até que surtiu algum efeito. Movimentando-se melhor, o Juventude entrou no campo dos mandantes e, após uma falta batida para a área, Irineu, ex-Flamengo, empatou, de cabeça.

O gol, inesperado, calou o Maracanã momentaneamente. O time vascaíano, porém, mostrou equilíbrio e seguiu impondo seu ritmo, enquanto para o Alviverde, que recuou, um pontinho já era uma grande vitória. Não demorou mais que cinco minutos para que o jogo virasse totalmente mais uma vez. Adriano foi lançado e sofreu pênalti de Juninho.

O árbitro não titubeou e o expulsou. Como já havia feito as três substituições, o Ju não pôde mudar e o atacante Mendes, que acabara de entrar, teve de ir para o gol. Assim, não havia mais ninguém no estádio que acreditasse que o acesso já não estivesse garantido. Para constar, Carlos Alberto iludiu o novo goleiro e fez 2 a 1.

A partir daí, foi ataque contra defesa. Os gaúchos tentaram evitar uma derrota maior, e o Vasco, sob os gritos de Dorival Júnior, começou a arriscar mais, por motivos óbvios. O resultado foram duas bolas na trave e nenhum golzinho a mais. E alguém não gostou? É claro que não. Para os cruzmaltinos, que tanto sofreram, fugir de vez da Série B é o que vale. E valeu muito, com a festa de uma grande e merecida conquista.

Agora, a caça é ao título e olho, a longo prazo, é no planejamento para a temporada 2010, da reconstrução definitiva do Vascão.

FICHA TÉCNICA:
VASCO 2 X 1 JUVENTUDE

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)
Data/Hora: 7/9/2009 – 16h10
Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)
Assistentes: Erich Bandeira (PE) e Ubirajara Ferraz Jota (PE)
Renda/Público: R$ 1.157.287,00 / 78.609 pagantes (81.904 presentes)
Cartões amarelos: Aloísio (VAS)
Cartão vermelho: Juninho, 20’/2ºT (JUV)
GOLS: Adriano, 29’/1ºT (VAS); Irineu, 18’/2ºT (JUV); Carlos Alberto, 24’/2ºT (VAS)

VASCO: Fernando Prass, Paulo Sérgio, Fernando, Titi e Ramon; Nilton, Souza (Alex Teixeira, 25’/2ºT), Alan e Carlos Alberto (Magno, 34’/2ºT); Adriano e Elton (Aloísio, 30’/2ºT) – Técnico: Dorival Júnior.

JUVENTUDE: Juninho, Bruno, Douglas, Irineu e Bruno Teles; Xavier (Jorge Felipe, intervalo), Walker, Lauro e Léo Dias (Gustavo, intervalo); Zezinho e Marcos Denner (Mendes, 15’/2ºT) – Técnico: Ivo Wortmann.

Esse post foi publicado em Datas Especiais. Bookmark o link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s